A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Os 180 anos da Cabanagem

A Câmara dos Deputados promove a partir de amanhã, em Brasília(DF), a exposição “Nas Trilhas da Cabanagem”, que ficará por um mês no corredor de acesso ao Plenário Ulysses Guimarães. A ideia é do deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), que promove também audiência pública na Comissão de Cultura (às 10h desta terça, no plenário 10 do Anexo II, com transmissão pela TV Câmara na Internet), em homenagem aos 180 anos do movimento social que aconteceu no perído de 1835 a 1840, durante o Império, na província do Grão-Pará, hoje Estado do Pará.  O curador da mostra, que contém fotos, cartazes e documentos da época, é o professor Emanuel Franco Ferreira. 

Os cabanos (índios, negros e mestiços, aliados a intelectuais  da classe média e até à elite (comerciantes e fazendeiros) reivindicavam melhores condições de vida (trabalho, moradia, comida); e participação nas decisões administrativas e políticas da província.
A revolta começou em 06 de janeiro de 1835 com a tomada do quartel e do palácio do governo de Belém por cabanos liderados pelo lavrador Antônio Vinagre. Terminou após cinco sangrentos anos de combate: estima-se que cerca de 30 mil pessoas morreram durante o conflito.

Aliás, o presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda(DEM), está desenvolvendo várias atividades para marcar os 180 anos de Cabanagem, entre elas exposição itinerante do acervo histórico e sessão especial na Assembleia Legislativa do Pará, cuja sede é denominada oficialmente Palácio Cabanagem.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *