0
A Operação “Engambitante”, coordenada pela Delegacia de Repressão e Defraudações Públicas, vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado, com o apoio da Diretoria de Polícia do Interior, do Núcleo de Inteligência Policial e do Grupo de Pronto Emprego da Polícia Civil,  cumpriu hoje em Tomé-Açu 25 mandados judiciais, sendo dois de prisão preventiva, nove de condução coercitiva e 14 de busca e apreensão. 

Conforme o delegado Carlos Eduardo Vieira, titular da DRDP, o vereador Clidenor Guedes de Oliveira, em conluio com servidores, inseria na folha de pagamento da prefeitura de Tomé-Açu o nome de funcionários com carga horária muito além da real. O excedente era repassado ao vereador, mediante ameaça de rescisão de contrato. O vereador e Celma Sileide, diretora da Escola Municipal Santo Antônio, foram presos preventivamente.
Celma era responsável por manter os contratados sob vigilância para conter eventual fuga do esquema criminoso. 

Além das residências, foram alvos de buscas duas escolas e as Secretarias de Educação e de Administração, com a finalidade de apreensão de documentos. 

A coisa é feia. Este é o terceiro esquema de desvios de recursos públicos desarticulado pela DRCO na prefeitura de Tomé-Açu só nos últimos seis meses. 
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Alepa instalou comissões permanentes

Anterior

Surf na Pororoca prevê 200 competidores

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *