Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

OGU 2016 aponta buraco de R$30,5 bi

Agora é que a porca torce o rabo. A presidente Dilma Rousseff mandou para o Congresso o Orçamento Geral da União para 2016 prevendo um déficit de nada menos que R$30,5 bilhões. O governo federal gastou demais e não quitou suas contas em 2014, começou o ano com o orçamento contingenciado e pagando só 1/18(um dezoito avos), tentou criar de novo a CPMF mas, como o Senado e a Câmara não quiseram assumir o ônus, simplesmente jogou a toalha e nem se deu ao trabalho de inserir na peça orçamentária as possibilidades de novas fontes de recursos ou os cortes necessários nas despesas. Anunciou redução de dez Ministérios mas na realidade trata-se apenas de dez ministros a menos, porque a estrutura toda será mantida, pelo menos é o que está posto até hoje. O cenário desenhado para o ano que vem é tenebroso. As contas de 2015 já se sabe que fecharão com 17,7% no vermelho

Ninguém consultou o Zé Povinho na hora da gastança, mas adivinhem quem vai pagar a conta? O impacto das mudanças nas contas do governo será dramático. A dívida pública, que deveria começar a cair já a partir do ano que vem e chegar em 2018 em 60,4% do PIB, segundo os dados oficiais, agora só cairá em 2018 e chegará ao final do mandato de Dilma em 65,6% do PIB. Se as previsões se confirmarem, não demora o Brasil ultrapassa a Índia, cuja dívida pública está em queda, e fica no topo da lista dos países emergentes mais endividados do mundo.
A recessão, cujo capítulo mais perverso é o aumento do desemprego, já alcança 6,9% da população ativa, de acordo com o IBGE, e deverá se prolongar. Salve-se quem puder!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *