0

Depois de décadas de justos reclamos, Óbidos e Oriximiná, municípios do oeste do Pará – que eram atendidas por meio de sistema isolados, com energia elétrica de usinas termelétricas – estão no Sistema Interligado Nacional. Além das subestações, também foram construídos mais de 80 Km de linhas de transmissão para conectar as cidades. Cerca de 9.700 famílias em Oriximiná e em torno de 10.200 famílias em Óbidos são beneficiadas. Agora, empresas de médio e grande porte podem se instalar na região, gerando emprego e renda para a população local.  O governador Simão Jatene entregou a subestação e visitou as obras na captação, tratamento e distribuição da Cosanpa, uma Unidade Integrada Pro Paz que está quase pronta,  o asfaltamento no bairro do Penta e inaugurou a reforma da Praça Santo Antônio, que somam mais de R$ 25 milhões em investimento em Oriximiná, além dos R$40 milhões na interligação ao sistema elétrico.

A ampliação e melhoria do sistema de abastecimento de água, através do PAC I e II, inclui a readequação do projeto executivo. A obra foi iniciada em abril deste ano e tem 12,74% executados. São duas etapas. Uma delas prevista para ser entregue em 2016 e outra em 2017. Os 53 mil metros de tubulação e mais de 11 mil ligações deverão resolver de vez o problema de água em toda Oriximiná. “As contrapartidas do Governo do Estado estão sendo pagas normalmente e a obra segue dentro do cronograma de entrega”, garante Augusto Silva, engenheiro responsável pela obra. Na foto, Jatene e o chefe da Casa Civil, José Megale, com os vereadores de Oriximiná Francisco Florenzano, Xito Viana e Neto Andrade, e o ex-prefeito Argemiro Diniz, lideranças políticas que há muitos anos andam de seca a meca pedindo esses benefícios.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Seja um doador de órgãos

Anterior

Carretas no centro histórico de Belém

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *