Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Seja um doador de órgãos

Hoje é o dia nacional de doação de órgãos e tecidos. No Pará, há 1.009 pessoas na fila por um transplante de córnea e outras 619 esperam por um rim. Ao longo do ano passado, foram feitos 50 transplantes de rins, entre intervivos e falecidos (transplantes com doadores vivos e falecidos), e outros 212 procedimentos de doação de córneas. Em 2013, 53 rins e 238 córneas foram transplantados. Já em 2015, foram realizados no Estado 30 transplantes de rins e 98 de córneas. O número de doadores é baixo devido à falta de informação sobre o procedimento. A média é de 2,3 enquanto que no Brasil é de 13.  

A campanha “setembro verde” incentiva a doação de órgãos para a realização de transplantes. Projeto nesse sentido foi apresentado na Assembleia Legislativa pela deputada Eliane Lima(PSDB), que também é transplantada. 

Para se tornar um doador, basta informar em vida que é doador de órgãos, para que a vontade seja atendida no futuro. Não é necessário deixar documento escrito. Entre os órgãos que podem ser doados por pessoas mortas estão as córneas, rins, fígado, coração, pulmão e pâncreas. Todo paciente em morte encefálica pode ter os órgãos doados, ou seja, com a falência das atividades do cérebro e mediante esse diagnóstico, a família deve ser consultada e orientada sobre o processo de doação de órgãos. Mas a recusa familiar ainda é o principal obstáculo para que o transplante seja feito. 

Os hospitais do Pará que fazem o transplante de córnea pelo SUS são Ofir Loyola (Estado/SUS), Bettina Ferro (Federal/SUS) e o Hospital Oftalmológico Cynthia Charone (privado conveniado ao SUS). A respeito dos transplantes de rins, somente os hospitais Ofir Loyola e o HSM (privado e por meio de planos de saúde) realizam o procedimento. Mais informações pelo telefone celular do plantão da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos da Sespa: (91) 98115-2941.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *