0

Vejam esta joia da memória parauara, datada de 1894, que o padre Sidney Canto, presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós -IHGTap, presenteou ao procurador de justiça aposentado Ismaelino Valente, editor do portal Alenqueremos e entusiasta-curador do Museu da Cidade de Alenquer(PA). Um anúncio do “Instituto Alemquerense”, que oferecia nos cursos Primário e Secundário as disciplinas Português, Francês, História Universal e Pátria, em especial a do Pará, Aritmética, Álgebra, Geometria aplicada, Desenho linear, Escrituração mercantil, Elementos de História natural com aplicação à Agricultura, Geografia, Música vocal e instrumental, e, ainda, Latim, Pedagogia e outras, desde que tivesse alunos interessados em número suficiente. Detalhe: o ensino era público e gratuito, o Instituto recebia estudantes em regime de internato e funcionava na rua Primeiro de Maio, “canto” com a Trav. Tenente Simões. Não é sensacional? 
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Hemopa tem que ficar aberto em feriados

Anterior

Sucupira é aqui

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *