A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Na Rua da Felicidade, em condições subumanas

Antônio Roberto de Azevedo, viúvo de 57 anos e sem filhos, vivia há anos em situação de extrema pobreza em uma casa de um cômodo, sem portas nem janelas e condições degradantes: sem banheiro, móveis, colchão nem eletrodomésticos básicos, como fogão e geladeira – vejam só! – na Rua da Felicidade, bairro de Água Cristalina, Ilha de Caratateua, distrito de Outeiro, em Belém do Pará. Os vizinhos, todos também pobres, dividiam a pouca comida que tinham com ele. Um deles teve a ideia de filmar o lugar e postar nas redes sociais. Alguém marcou o meu nome. Quando vi encaminhei imediatamente ao WhatsApp do prefeito Edmilson Rodrigues e lhe pedi que socorresse aquele pobre homem. Edmilson, sempre sensível às causas sociais, determinou imediatamente à Fundação Papa João XXIII o devido amparo e a inclusão dele no Programa Bora Belém, entre outros benefícios sociais a que faz jus, de modo a garantir sua dignidade e acesso aos direitos básicos. O presidente da Funpapa, Alfredo Costa, logo me enviou mensagem relatando as providências.

Uma equipe do Centro de Referência de Assistência Social de Outeiro acionou a equipe da Unidade Municipal de Saúde para o atendimento emergencial. O coordenador do Cras Outeiro, Anderson Claudino, disse que a situação do homem era angustiante e que todas as medidas necessárias já foram encaminhadas, inclusive foi providenciada uma vaga em espaço de acolhimento institucional. Mas o senhor resiste, não quer ser abrigado. É necessário que ele seja avaliado quanto à saúde mental e se tiver condições de administrar a própria vida o melhor é ajudá-lo a construir e equipar a sua casinha para que more em condições dignas para um ser humano.

Este é um caso isolado que representa os mais de 16 milhões de pessoas que estão passando fome no Brasil, vivendo em meio ao lixo e à lama. As ruas de Belém estão repletas de famílias em situação de rua. Há filas que dobram o quarteirão na Av. Magalhães Barata, esquina com a Rua 3 de Maio, onde a Churrascaria Boi Novo distribui sobras de comida aos necessitados, após a hora do almoço, por volta das 15 horas.

A Prefeitura de Belém não dispõe de receita para atender a toda a demanda premente. Deveria se unir ao Ministério Público do Estado do Pará e outras instituições para buscar ajuda humanitária das multinacionais instaladas na região metropolitana. E cabe às classes mais abastadas um mínimo de solidariedade. Se todas as empresas contribuíssem com doações de alimentos e outros itens necessários, certamente a realidade seria transformada.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *