0
A promotora de Justiça de Oriximiná, Ione Missae, visitou a comunidade Ariramba, no município de Óbidos, a fim de apurar  denúncia dos moradores no sentido de que, na área de pretensão do território quilombola junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) aprovou plano de manejo florestal em favor da madeireira “Samal” e com Cadastro Ambiental Rural da fazenda “Murta”, sendo que o título é do Instituto de Terras do Pará (Iterpa) e possivelmente de outra área”. De acordo com a representante do Ministério Público do Estado do Pará, há um inquérito civil da Promotoria Agrária de Santarém que acompanha o processo de regularização do território quilombola Ariramba. Estiveram presentes a defensora pública Andréia Barreto, o agente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Ítalo Santos, e o agente da Pastoral da paróquia de Oriximiná, Josielson Costa.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Crianças fora da escola em Igarapé Açu

Anterior

Empregados do Incor recebiam pela Alap

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *