A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Em ação civil coletiva do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnico Duchista, Massagista, Empregados em Hospitais e Casa de Saúde do Estado do Pará, na qual o Ministério Público do Trabalho PA-AP atuou como fiscal da lei, a 2ª Vara…

Mauro Santos tem que devolver R$15 mi

O juiz Cláudio Lima, que responde pela 10ª Vara de Falência e Recuperação Judicial, deu prazo de cinco dias para que o administrador judicial da Celpa, advogado Mauro César Lisboa dos Santos, e o perito contador, Vanderlei Masson dos Santos, depositem em Juízo os valores dos honorários recebidos, sob pena de imediata remoção e constrição de bens a fim de garantir a efetividade da decisão, exarada anteontem, 28, e publicada ontem no Diário oficial da Justiça. 

Como vocês devem lembrar, o desembargador Leonam Gondim Jr.,  relator da ação rescisória nº 2014.3.006797-1, impetrada pelo procurador de Justiça Nelson Medrado para desconstituir o acórdão nº 127.090 do TJE,  de 25.11.2013, concedeu liminar sustando o cumprimento da decisão e restituindo ao status quo anterior.

Pela Reclamação Disciplinar nº 0000138-06.2014.2.00.0000, a Corregedoria Nacional de Justiça, do CNJ, apura eventual infração de dever funcional quanto à prolação do acórdão que permitiu ao advogado levantar R$15 milhões a título de primeira e segunda parcelas de um total de três e ainda garantiu o recebimento de mais R$5 milhões, no final do processo.

A liminar do desembargador é esta aqui.

E já noticiei no último dia 8 que o promotor de justiça de Tutela das Fundações e Entidades de Interesse Social, Falência, Judicial e Extrajudicial, Sávio Rui Brabo de Araújo, requereu perante a 13ª Vara Cível de Belém a destituição de Mauro Santos como administrador judicial da Celpa, além da indisponibilidade de seus bens, em caráter liminar, como medida cautelar incidental.

O requerimento do promotor é este aqui.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *