0
A Marinha do Brasil encontrou um bonito modo de festejar os 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo, através de doação de sangue. Hoje, primeiro dia da campanha em parceria com a Fundação Hemopa, em Belém, uma onda branca formada por cerca de 500 voluntários militares levou esperança de vida a tantos que precisam de transfusão sanguínea. A campanha é nacional. No Pará, a mobilização está sendo conduzida pelo comandante do IV Distrito Naval, vice-almirante Edlander Santos, cuja meta é de 1.360 doações, até o dia 18. No térreo da sede do Hemopa, foram armadas tendas para acolher parte dos voluntários, que recebem lanche e fazem exames.

O estoque de sangue do hemocentro foi reduzido à metade, em março, causando grande apreensão. A mesma campanha também está sendo realizada no Hemocentro Regional de Santarém. O slogan da Marinha é: “No passado os marinheiros deram sangue pelo País. Hoje, doam sangue para salvar vidas”.  Para a presidente do Hemopa, Ana Suely Leite Saraiva, o ato de salvar vidas está enraizado na missão da Marinha.
O vice-almirante  Edlander Santos explica a inspiração: “Para nós é motivo de muito orgulho, mais do que um gesto de solidariedade. É um ato solidário e de exemplo à sociedade. Todos devem seguir e doar sangue para preservar vidas”. A Marinha do Brasil comemora anualmente, no dia 11 de junho, o aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, data magna da Força, marco na história do Brasil no contexto da Guerra da Tríplice Aliança. Naquele dia, em 1865, o Brasil obteve uma vitória decisiva. Centenas de marinheiros deram suas vidas para garantir a soberania da pátria. 

O 150º aniversário da Batalha Naval do Riachuelo tem vasta programação, e os eventos são abertos ao público: exposição de trabalhos e maquetes navais na Estação das Docas, desfile e visitas a navios, corrida rústica, regata, mostra de artes, ações cívico-sociais e apresentações da Banda de Música dos Fuzileiros Navais. 

Pode doar sangue qualquer pessoa com boa saúde, que tenha entre 16 e 69 anos e pese acima de 50 Kg. É preciso levar documento de identidade original e com foto, e deve estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três. Adolescentes de 16 e 17 anos só podem doar com a autorização dos pais ou de um representante legal. 

Serviço: A Fundação Hemopa fica na Trav. Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7:30h às 18h; aos sábados, das 7:30 às 17h. A Estação de Coleta Hemopa-Castanheira fica no térreo da passarela Pórtico Metrópole, que dá acesso ao Castanheira Shopping, na BR-316, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7:30h às 18 h, e aos sábados das 7:30h às 17 h. Mais informações pelo Alô Hemopa, via 0800 280-8118.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

MPF quer internet funcionando em Santarém

Anterior

Alto Trombetas em meio a disputa judicial

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *