0
A propósito do post Troca de comando na Ceasa e Hemopa, recebi do amigo Ademar Ayres do Amaral o seguinte comentário na caixinha do blog:

“Gostaria de acrescentar um pequeno comentário sobre a fundação do Hemopa. O criador do Hemopa no Pará foi meu tio Manuel Ayres, na época Secretário de Saúde no governo Aloysio Chaves. A Instituição foi criada com o nome de Fundação de Hemoterapia do Pará – FUNDEPA, depois mudado para HEMOPA em outra administração. Para primeiro presidente da FUNDEPA, por indicação da Dra. Regina Glória, o Dr. Manuel Ayres foi buscar em São Paulo o competente especialista Dr. João Carlos Saraiva, marido da atual presidente, que organizou a instituição nos moldes como ela é hoje. O primeiro endereço da FUNDEPA (HEMOPA) foi um imóvel alugado na Generalíssimo Deodoro, quase em frente à Beneficiente Portuguesa. Fica o registro. 
Ademar Ayres do Amaral”

NOTA DO BLOG: Tem toda razão, meu caro Ademar. O Doutor Manuel Ayres, médico pediatra, geneticista e sanitarista, além de Estatístico, autor de diversas obras técnicas, como Aplicações Estatísticas em Basic, BioEstat, Pequeno Dicionário de Bioestatística, Elementos de Bioestatística – A selva do açaizeiro, além de livros como o escrito em conjunto com sua falecida esposa Iza Ayres, intitulado “Manuel e Ela: Crônicas e Memórias dos Ayres”, é sem dúvida uma personalidade admirável e um homem à frente do seu tempo, que já contribuiu e continua contribuindo grandemente para o Pará, o Brasil e o mundo. Não bastasse seu próprio legado, que é muito volumoso, impossível não mencionar o de seu saudoso filho, o biólogo, especialista em primatas, com atuação marcante no Museu Paraense Emílio Goeldi, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA, Wildlife Conservation Society e Ibama, um dos mais respeitados e premiados cientistas do Brasil na área de conservação da biodiversidade e que concebeu Mamirauá, a primeira reserva de desenvolvimento sustentável brasileira, entre outros feitos.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Cinemas vão adaptar espaço a cadeirantes

Anterior

Barraco na CPI da Petrobrás

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *