A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Barraco na CPI da Petrobrás

Foto: Gabriela Korossy
A coisa está feia no Congresso Nacional. Logo na primeira reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as denúncias de desvio de recursos na Petrobras imperou o bate-boca. O presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), anunciou a criação de quatro sub-relatorias e, sem submetê-los ao plenário, indicou os nomes dos relatores, do PSDB, PTB, PSC e PR, o que enfraquece o principal relator da CPI, que é do PT, e demonstra claramente o, digamos, descontentamento do PMDB com o governo

Pra que! Vários deputados do PT, PSOL, PPS e PSB começaram a criticar o presidente da CPI, dizendo que não tinham sido consultados. A deputada Maria do Rosário (PT-RS) apresentou questão de ordem para que o relator mostrasse o plano de trabalho antes de indicar as subrelatorias, contudo, Motta atropelou o debate. Os mais exaltados foram os do PSOL, Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) e Ivan Valente (PSOL-SP). 

Não amoleque esta CPI!“, gritou Edmilson, com o dedo em riste. 

Também aos berros e com o dedo indicador apontado, Hugo Motta reagiu: “Eu quero aqui deixar bem claro. Não admitirei desrespeito de Vossas Excelências! Quem manda aqui é o presidente, respeitando o regimento. Eu não aceito desrespeito.”

Edmilson Rodrigues retrucou: “O senhor é moleque! É moleque o presidente da CPI!” 

Hugo Motta respondeu, furioso: “Cabelo branco não é sinônimo de respeito. Vossa Excelência me respeite! Vossa Excelência se retrate!”

A turma do “deixa disso” entrou em ação e foi até a mesa tentar acalmar os ânimos. Em tom mais calmo, Motta disse que daria a palavra aos demais deputados. Mas subiu os decibéis da voz de novo: “Agora, eu quero dizer a Vossas Excelências que não serei, aqui, nenhum fantoche para me submeter a pressão de quem quer que seja. Um deputado se levantou e me desrespeitou. Eu quero dizer aqui que não tenho medo de grito, e que da terra de onde eu venho homem não me grita!”


Edmilson, que é suplente da CPI da Petrobrás, não se calou: “Minha cultura é da decisão coletiva. Todos nós aqui somos representantes da soberania popular. Todos temos valor. Não estamos mais em uma ditadura“. 

O circo está, como se vê, em plena atuação. Enquanto isso, o Zé Povinho, ó…

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *