0

A Operação Anastasis, da Polícia Civil do Pará, cumpriu mandados de prisão temporária e de busca e apreensão, ontem, 25, culminando na descoberta do corpo da tatuadora Flávia Alvez Bezerra, que desapareceu em Marabá no último dia 14. Ela foi encontrada morta em uma área remota de Jacundá, à noite, em uma cova rasa, já em elevado grau de decomposição. O Núcleo de Apoio à Investigação de Marabá e Tucuruí localizou o veículo utilizado no crime e Willian Araújo Sousa, conhecido como “Will Sousa”, tatuador que conhecia a vítima e já tinha trabalhado com ela, além da companheira dele, Deidyelle Oliveira Alves, estão presos por terem praticado o feminicídio e ocultação do cadáver, respectivamente.

“No dia do fato a vítima encontrou o tatuador casualmente no bar e ao final da festa o homem teria dado carona à vítima, tendo sido a última pessoa vista com ela. As investigações apontam que o homem foi o executor do homicídio e posteriormente sua companheira teria colaborado para ocultar o corpo de Flávia. A polícia trabalha para esclarecer a motivação do crime, mas a mulher presa confessou o fato e diz não saber porque seu companheiro teria cometido o crime e que foi pressionada para ocultar o cadáver. O suspeito se reserva ao direto de ficar em silêncio”, explicou do delegado Vinicius Cardoso, superintendente regional do Sudeste.

O delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Walter Resende declarou que as investigações continuam, buscando esclarecer os detalhes do crime, que chocou toda a sociedade. Quase diariamente uma mulher é assassinada no Pará, com requintes de perversidade. Isso precisa parar.

Operação Bertholletia em Altamira

Anterior

TRE do Pará atende pessoas com deficiência

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *