O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Quase todo mundo já caiu na tentação de comer ou beber além do necessário, mas a data, 26 de janeiro, foi criada a fim de conscientizar a população sobre os perigos que a compulsão alimentar oferece à saúde. Neste ano,…

Jobim cai do governo

É iminente a queda do ministro da Defesa, Nelson Jobim.

Primeiro ele declarou que votou em José Serra nas eleições de 2010. Depois, na solenidade de homenagem ao ex-presidente FHC, disse ser preciso tolerar a convivência com “idiotas“, que “escrevem para o esquecimento“.
Agora, em entrevista à revista Piauí, Jobim chama o governo Dilma de “atrapalhado“, diz que a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) é “fraquinha” e que Gleisi Hoffmann (Casa Civil) “sequer conhece Brasília“. E ainda conta que, ao convidar José Genoíno para trabalhar na sua pasta, ouviu de Dilma: “Mas será que ele pode ser útil?”, ao que teria respondido: “Presidenta, quem sabe se ele pode ou não ser útil sou eu”. Para completar, o quase ex-ministro arrematou o rol de comentários infelizes avaliando que FHC e Lula são sedutores. “Só que de maneiras diferentes. O Lula diz palavrão, o Fernando é um lorde“.
Está cotado para assumir a Defesa o próprio vice-presidente da República Michel Temer.


Atualização às 20:30 horas: O ministro Celso Amorim é o novo titular da Defesa. Corre à boca pequena no serpentário palaciano que a presidente Dilma teria dito que se pudesse “arrumaria um cargo para o Jobim na Amazônia e deixaria ele por lá”.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *