0

Stephen Shoemaker, 33, chegou seis horas atrasado para seu julgamento na terça-feira passada, quando teria de responder num tribunal de Carlisle (Pensilvânia, EUA) por dirigir bêbado. Sem carona, carro ou carteira de motorista, ele foi a pé. Saiu de casa de madrugada e andou 40 km sob o sol. Desidratado, teve que receber atendimento num hospital. Quando chegou ao tribunal recebeu voz de prisão por causa do atraso, mas o juiz acabou concordando em adiar o julgamento para julho. E o acusado só se livrou de voltar pé para casa porque seu advogado se voluntariou para dar uma carona.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Cérebros de alface

Anterior

Anos de chumbo

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *