0

O Centro de Instrução de Guerra na Selva, em Manaus, treinou pelo menos 103 oficiais estrangeiros em técnicas de tortura e combate a guerrilha entre 1966 e 1985, período da ditadura militar no Brasil, informa reportagem de Cláudio Dantas Sequeira publicada hoje na Folha de São Paulo. A reportagem teve acesso à relação dos militares e conseguiu reconstruir a história de alguns deles após a passagem pelo Brasil. Segundo a Folha, foi possível identificar assassinos condenados, cúmplices de genocídio e acusados de tortura entre os ex-alunos. Em outra reportagem, também publicada hoje na Folha, o comandante do Cigs, tenente-coronel Antonio Manoel Barros, reconhece que a escola foi usada para ensino de técnicas de tortura durante o regime militar.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Igualzinho ao Brasil

Anterior

A saúde abandonada

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *