0

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto “Futebol Formando Cidadão”, que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube, que disputa a primeira divisão estadual, em parceria com a Associação de Ligas Desportivas do Estado do Pará (Alidesp) e o Governo do Pará, através da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

Em Santarém, serão lançadas as escolinhas de nove municípios da região – Alenquer, Altamira, Curuá, Itaituba, Óbidos, Prainha, Rurópolis, Santarém e Trairão. O evento será na sede da Associação Atlética Banco do Brasil, a partir das 10 horas da manhã. Ao todo, 24 cidades do Pará receberão 25 escolinhas, duas em Belém.

 As aulas devem começar já no início de fevereiro. Cada sede abriu inscrições e selecionou os atletas de acordo com os requisitos do projeto. Além do cunho social, os melhores jogadores das escolinhas serão aproveitados nas categorias de base do clube, a partir dos 16 anos; e, depois, no futebol profissional.

O Futebol Formando Cidadão vai atender crianças e adolescentes de 11 a 15 anos de idade e de ambos os sexos, com aulas e materiais esportivos gratuitos. “Desde a chuteira, inscrição, material de treinamento, garrafinhas. Tudo é gratuito. Mas um dos nossos principais requisitos para a participação é que o aluno esteja matriculado em uma escola e com a frequência no ano letivo de 2023”, explica o coordenador geral do Futebol Formando Cidadão, Alvino Barradas.

Além dos municípios da região oeste do Pará, também já estão confirmadas como sedes do projeto as cidades de Bannach, Belém, Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Colares, Concórdia do Pará, Dom Eliseu, Floresta do Araguaia, Itupiranga, Marabá, Marapanim, Pacajá, Ponta de Pedras, Santa Bárbara do Pará e Sapucaia.

Mais que descobrir jovens talentos do futebol, o projeto Futebol Formando Cidadão quer dar oportunidades a crianças e adolescentes em vulnerabilidade social, para que vejam no esporte um caminho para uma vida melhor, longe da violência, criminalidade e outras mazelas.

Mais de 2,5 mil trabalhadores escravizados em 2022

Anterior

Dom Evaristo Spengler é o novo bispo de Roraima

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *