0

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Pará, Alex Carvalho, debateu ações para a descarbonização da produção, transição energética e desafios tecnológicos e regulatórios, ao participar hoje (6) do “Diálogo Empresarial para uma Economia de Baixo Carbono”, promovido pela Confederação Nacional da Indústria em Dubai, na COP 28.

O presidente da CNI, Ricardo Alban, defendeu a união de esforços em favor da neoindustrialização. “A indústria brasileira reúne condições únicas para ser uma das líderes mundiais da baixa emissão de carbono e da sustentabilidade. Temos uma oportunidade ímpar, talvez a última dessa geração, de revitalizar a indústria brasileira. Com um setor industrial mais inovador, dinâmico e competitivo, o Brasil poderá crescer de forma vigorosa e sustentável e gerar a renda e os empregos necessários para melhorar a qualidade de vida da população”.

Alex Carvalho entende que o Pará deve se preparar para ser inserido em um novo modelo econômico, mais inclusivo e justo. “Se nós estamos dispostos a assumir esse protagonismo para uma nova economia, temos que ficar atentos para enfrentar e superar as adversidades que nos colocaram nesse atraso em que estamos hoje como, por exemplo, a falta de infraestrutura adequada, que nos traz pouca competitividade. Então, precisamos primeiro transpor essas dificuldades para emergirmos integralmente neste novo mundo, a partir de transição justa, para uma economia à base da nossa biodiversidade, mas que seja rentável e sustentável para que as riquezas fiquem no nosso território”.

No encontro, a CNI formalizou parceria com quatro instituições para desenvolver estratégias conjuntas para participação integrada na COP 30, que promete ser um marco para o avanço nas negociações sobre o clima. Os documentos foram assinados com a Câmara de Comércio dos Estados Unidos (US Chamber), a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, a Amcham Brasil e o First Abu Dhabi Bank.

O acordo busca desenvolver agenda positiva entre os setores empresariais dos dois países, direcionada a uma economia de baixo carbono. Os compromissos envolvem troca de informações sobre cooperação comercial, econômica e social para estreitar relações entre Brasil e EUA na agenda da COP 30; ajuda mútua para a organização e participação em ações como conferências e seminários antes e durante a COP, em sinergia com a Agenda do Clima.

O presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Osmar Chohfi, disse que a parceria possibilitará uma participação mais consistente e produtiva da indústria na COP 30.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Quando a Educação Destranca as Grades da Prisão. A Remição de Pena pela Leitura.

Anterior

Homens pelo fim da violência contra as mulheres

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *