0
Representantes da área de tecnologia da informação do Conselho Nacional do Ministério Público vão a Porto Velho (RO) esta semana, acompanhar a implantação de tabelas processuais unificadas no MP de Rondônia. A experiência é parte do plano de metas da Estratégia Nacional de Combate à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos. O projeto foi concebido para uniformizar a taxonomia processual entre as polícias, o MP e o poder Judiciário em todo o Brasil. A padronização abrange classes, assuntos e movimentos processuais. Com isso, cada novo processo receberá nomenclatura padrão para o procedimento utilizado (classe), as matérias discutidas (assuntos) e os atos processuais.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Magia amazônica

Anterior

Distorção na matriz de transportes

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *