Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

O juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz condenou a União e o Estado do Pará à obrigação de fornecer Cerliponase Alfa (Brineura®) a uma criancinha de quatro anos durante todo o período de tratamento, sem interrupção. O remédio deverá…

A Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembleia Legislativa aprovou à unanimidade, hoje (15), as contas do governador Helder Barbalho relativas ao exercício de 2020. Conforme o relatório do presidente da CFFO, deputado Igor Normando (MDB), a receita bruta…

Magia amazônica

Wendell Pimenta está todo prosa. O site de seu personagem Baiuka foi indicado por Xuxa em seu programa. Os personagens transitam pela Floresta Primitiva, reprodução da Amazônia pré-histórica, com direito a pororoca, encontro das águas, manguezais, cordilheira dos Andes, Pico da Neblina. Protagonizadas por Erê, Naiá e Pajé, as histórias infanto-juvenis do Baiuka – nome da primeira tribo de índios da Floresta Primitiva e de objeto mágico que contém a essência do mundo (o bem, o mal, os sentimentos, os desejos) – trabalham a consciência ecológica e sociocultural, reinventando o imaginário caboclo. Erê é um indiozinho sonhador, preguiçoso e aprendiz de Pajé. Naiá é a cunhatã brava como as amazonas mas com a doçura das crianças. Eiratí é o zangão protetor da Baiuka. O Pajé, sábio da tribo, o grande conselheiro de Erê. O Totem é uma criatura minúscula, que morre de medo de tudo. Há ainda o Miriti – todo curumim tem um macaco ou uma arara de estimação. Êrê tem uma cobra encantada. Além de ser brinquedo de miriti, guarda um segredo: pode se transformar na cobra-grande! Zilá é o grande vilão da história. Tupã, o Deus supremo, dono da Baiuka. Jaci é a mulher de Tupã e protetora de Erê. Peri é um periquito que, vejam só, queria ser único, mas tem mais de mil irmãos e irmãs iguaizinhos. E Mara é uma uma das últimas descendentes de antiga raça de onças sacerdotisas que habitavam o santuário do Marajó.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *