O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Quase todo mundo já caiu na tentação de comer ou beber além do necessário, mas a data, 26 de janeiro, foi criada a fim de conscientizar a população sobre os perigos que a compulsão alimentar oferece à saúde. Neste ano,…

Expedição marajoara

A população de Soure, no arquipélago do Marajó, prova que é possível se organizar e promover as mudanças necessárias. A partir da constatação da demanda reprimida na área de saúde que revela pessoas esperando há dez anos por exames médicos, sendo que muitos morreram por falta de assistência, o bispo emérito Dom José Luiz Azcona, o bispo do Marajó Dom Evaristo Pascoal Spengler, a paróquia Menino Deus e a Comissão Justiça e Paz da CNBB Norte II lideraram ampla campanha solidária a fim de recuperar o prédio da Prelazia – que passou anos cedido para sediar o hospital municipal -, de modo a abrigar ações de assistência médica, que vão beneficiar inclusive os cidadãos de Salvaterra e Cachoeira do Arari. 

Os empresários locais aderiram de pronto, doando material de construção, comunitários se dispuseram a trabalhar em mutirão, dono de empresa de navegação doou viagens para transportar o que fosse necessário e os fiéis contribuíram através do dízimo. Além disso foram realizados sorteios, rifas e quermesses, e o resultado é que o Centro Social da Prelazia de Soure está pronto e já vai ser inaugurado neste dia 8, com a Expedição Marajoara da Liga Acadêmica Paraense de Saúde da Mulher, organizada pela Comunidade de Santo Agostinho e coordenada pela médica Léa Araújo, com a parceria do Departamento de Hepatites Virais e IST/AIDS da Sespa, Academia Paraense de Biomedicina, Patologia Clínica, Medicina Clínica e Diagnóstica, Neurologia, Hepatologia e Banco Social de Doação de Órgãos e Transplantes Fiepa/Sesi/Cores. 

Com a mobilização e a adesão impressionante de pessoas do bem, que além do seu trabalho vão doar alimentos e medicamentos à população necessitada (um fazendeiro já doou um boi para ajudar a alimentar os voluntários, ainda é pouco), 73 profissionais de saúde vão oferecer, durante uma semana, consultas médicas em diversas especialidades, entre elas Ginecologia, Pediatria, Neuropediatria, Patologia, Oftalmologia, Cardiologia, Geriatria, Infectologia, Gastroenterologista, Neurologia e Clínica (Saúde da Família), equipe de Enfermagem, dispensação de medicamentos por farmacêutico, atendimento com psicólogos e fisioterapeutas, testes rápidos para hepatite B e C, HIV e sífilis, exames de urina, bacterioscopia, parasitológico das fezes e glicemia capilar, além de palestras educativas sobre promoção da saúde e prevenção de doenças e coleta de PCCU. Haverá contação de histórias para crianças e distribuição de material sobre o Banco Social de Doação de Órgãos e Transplantes. Médicos voluntários estão vindo até do Rio de janeiro, pagando suas próprias passagens de avião e ainda trazendo doações. O bispo Dom Azcona enviou pedido à aérea Gol no sentido de dispensar a cobrança das bagagens, pelo alto alcance social.

A precariedade dos serviços de saúde na região é antiga. Em junho de 2014, por conta da situação, uma revolta popular explodiu em Soure, com manifestantes exigindo a renúncia do então prefeito João Luiz Melo, e por fim destruindo a casa onde ele morava. Como resultado dos protestos, a cidade foi ocupada por tropas da PM e 22 manifestantes ainda hoje respondem a processo sobre as depredações, mas a saúde permanece calamitosa. Dom José Luís Azcona, em reunião com o procurador da República Felipe Moura Palha, recentemente, voltou a clamar por ajuda aos marajoaras.


O exemplo de solidariedade é lindo e eficaz. As pessoas que puderem ajudar com doações de medicamentos e alimentos não perecíveis podem entregá-los na igreja de Queluz (Cipriano Santos, 311, perto do Terminal Rodoviário de Belém) e na residência da Prelazia do Marajó em Belém (Teófilo Conduru, 99, entre Av. Ceará e Cipriano Santos, Canudos), em nome de Dom Azcona.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *