0

A eleição para a vaga do saudoso Professor Édson Franco na Academia Paraense de Letras, hoje, disputada por três candidatos, dividiu tanto os votantes que mesmo após três escrutínios, nenhum conseguiu se eleger, porque é exigido o mínimo de 21 votos.

No primeiro escrutínio Márcia Duailibe Forte obteve 18 votos, Benilton Cruz 9 e Marcos Valério Reis 8.

No segundo, já entre os dois candidatos mais votados, Benilton abocanhou os votos que eram de Marcos Valério e alcançou 19 votos e Márcia 15.

Já no terceiro e último escrutínio, Benilton ficou com 15 e Márcia 12. Houve um voto em branco e um nulo.

Agora, a APL reunirá para lançar novamente edital para a vaga.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Invasor da APA Atalaia peita Ideflor-bio

Anterior

“Você já foi à Bahia, nega? Então vá…”

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *