0
Nesta quinta-feira, às 09 horas, a Alepa promove audiência pública para debater o caso dos ex-servidores da Sucam – hoje Funasa – contaminados por agentes químicos durante campanhas de combate a endemias. Durante mais de 20 anos, sem qualquer proteção, eles usaram pesticidas para borrifar casas com a missão de erradicar dengue, febre amarela e malária. Hoje, por causa do contato prolongado com esses agentes, sofrem de doenças graves e reclamam indenizações, muitos enfrentando batalha judicial. Entre os agentes químicos causadores dos problemas está o DDT – Dicloro Difenil Tricloroentano – largamente utilizado após a segunda guerra mundial contra mosquitos transmissores da malária e do tifo.
A sessão foi solicitada ao deputado Arnaldo Jordy pelos próprios servidores, que querem discutir os encaminhamentos dados pela justiça. Muitos prejudicados estão aposentados e outros já teriam até morrido por causa do problema. Em todo o Brasil, há mais de mil trabalhadores contaminados e em Belém são cerca de 300, com registro de pelo menos 93 trabalhadores apresentando diagnóstico positivo com alto índice de contaminação.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Fora do alcance

Anterior

Cidade sem lei

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *