Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

Cirurgia de alta complexidade no HRBA

Arthur Neves, de apenas 4 anos, diagnosticado com hidronefrose, um aumento do tamanho do rim, esta semana foi submetido a uma cirurgia de alta complexidade para correção da anomalia, no Hospital Regional do Baixo Amazonas, ilha de excelência no interior do Pará, às margens dos rios Amazonas e Tapajós, em Santarém.
Segundo a família, desde seu primeiro ano de vida Arthur apresentava um quadro de dor. Mas a dor sempre era atribuída a algum tipo de alimentação que o menino consumia. Só aos três anos, quando a criança aprendeu a falar, o problema ficou mais aparente. Ele conseguia dizer onde doía: 
nas costas, na altura dos rins. Os pais, então, perceberam a presença de sangue na urina. Fizeram exames e não deu infecção, conta a mãe do garoto, a enfermeira Vanja Kzan Neves. Em dezembro de 2014, Arthur fez uma ultrassonografia no HRBA e foi detectada uma nefrose leve. Em junho de 2015, estava em estágio moderado. Seis meses depois, voltou a aumentar. Então, o médico que acompanhava o caso decidiu realizar a cirurgia para evitar que a criança tivesse uma lesão no futuro. De acordo com o cirurgião pediátrico Carlos Sinimbu, a cirurgia – no último dia 12, com duração de duas horas e meia – foi tranquila e o resultado positivo. Agora o pequeno está em recuperação e vai ficar em casa duas semanas para depois tirar os pontos e o dreno. 

A hidronefrose é causada pela obstrução do ureter, que bloqueia o fluxo da urina pelas vias e faz com que o rim se dilate, podendo causar danos graves ao tecido. É que, ao ficar cheio de urina, o rim não consegue desempenhar a sua função. No caso da criança, foi feita uma pieloplastia para corrigir a estenose de JUP, que é o estreitamento do ureter.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *