0


O bairro da Cidade Velha dá belo exemplo de proatividade cidadã, desenvolvendo com o pioneirismo que lhe é peculiar o projeto “Paz em meu bairro, paz em Belém”, que pretende contribuir para a redução da criminalidade, melhoria dos serviços públicos, elevação da autoestima dos moradores, valorização dos policiais e demais servidores públicos, aumento da coesão social e exemplaridade. Em 25 de novembro do ano passado, o prefeito Zenaldo Coutinho conheceu o projeto e colocou os serviços públicos municipais à disposição. Aproveitando a audiência concedida ao Observatório Social de Belém, na quinta-feira passada, dia 12, foram entregues a Zenaldo, pelo vice-presidente do OSB, Ivan Silveira da Costa, os encaminhamentos pactuados entre a comunidade e a polícia, durante a primeira reunião do projeto, coordenada e acolhida pelo Cura da Sé, Padre José Gonçalo Vieira, e que contou com mais de 80 moradores, além de Martha Falcoski e Maria Malheiros, coordenadora e sub-coordenadora do programa municipal “Pacto Belém pela Vida”, que contribuirá significativamente nas articulações com os serviços públicos municipais envolvidos. Da reunião, realizada na Catedral de Belém, participaram também a Polícia Militar, representada pelo comandante do 2º BPM, Coronel Ronald, pelo seu sub-comandante, Capitão Sulivan, e pelo Coronel Emílio, Diretor de Polícia Comunitária da PM, além do promotor de justiça Aldo Saife, Ouvidor-Geral do MPE-PA, representantes da Diretoria de Prevenção à Violência da Segup, Sr. Freire e Sra. Luciara; e Ana Paula Amador, representante do Corpo de Bombeiros. O projeto é apartidário, propositivo, democrático e inter-religioso. Observatório Social de Belém, entidade sem fins lucrativos, é presidido pelo geólogo José Francisco da Fonseca Ramos.

Cliquem nos documentos aí em cima e leiam a carta entregue ao prefeito Zenaldo Coutinho e as demandas do bairro.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Desgraça anunciada

Anterior

Associação luta pelo livre ir e vir

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *