Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Boto cor-de-rosa ameaçado de extinção


Os nossos lindos, míticos e inofensivos botos cor-de-rosa amazônicos estão sendo mortos e ameaçados de extinção no Brasil. Tudo porque servem como isca para atrair cardumes de piracatinga. Para evitar a matança, os Ministérios da Pesca e Aquicultura e do Meio Ambiente proibiram a pesca de piracatinga por 5 anos. Mas a medida só começa a valer a partir de janeiro de 2015. O boto Inia geoffrensis consta no Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Os  registros do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) e da Associação Amigos do Peixe-Boi (Ampa), desde 2000, apontam que a população do boto cor-de-rosa (que eles chamam de vermelho), estudada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, vem diminuindo 10%  todo ano. Será que vão esperar a extinção para depois bradar contra ela?!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *