0

A morte do garimpeiro Garcia Vieira durante fiscalização de órgãos federais na sexta-feira (25), na região do garimpo “Canta Galo” em Jacareacanga (PA), no alto Tapajós, teve grande repercussão na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Pará nesta terça-feira (29). Deputados das bancadas do PT, Maria do Carmo, Carlos Bordalo e Elias Santiago; e do PL, Rogério Barra, Coronel Neil e Toni Cunha, falaram a mesma língua pela primeira vez. Todos pediram a apuração das circunstâncias em que se deu o óbito, já que até agora as versões são controversas.

Há relatos de que o garimpeiro conhecido como Seu Garcia, morador da comunidade Mamãe Anã, teria reagido à abordagem de fiscais do Ibama, que teriam queimado sua máquina, e o homem teria ido para cima dos agentes, que revidaram dando um tiro para cima, alertando para não se aproximar, mas ele teria insistido, armado com uma pistola, levando os agentes a balear o garimpeiro.

Outra versão é de que a operação conjunta envolveu Ibama, ICMBio, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança Pública e Funai. E que o garimpeiro teria tentado derrubar o helicóptero da PF, tendo um policial federal pendurado para proteger a aeronave, que teria atirado com um fuzil em defesa da própria vida e da aeronave e tripulantes.

Uma terceira versão afirma que o garimpeiro teria sido executado.

O presidente da Alepa, deputado Chicão, lamentou o episódio, manifestou solidariedade à família da vítima, em seu nome e de todos os parlamentares, repudiando qualquer tipo de violência.

Assistam ao vídeo.

A Mídia sob o império da lei

Anterior

Alepa aprova 15% de reajuste a policiais civis

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *