0

Lidar com redes sociais é desafiador para o setor público. Saber separar a figura política da gestão pública, democratizar a atuação do Poder Legislativo, aumentar a transparência das decisões e trabalhos da Casa, priorizar nas mídias digitais o uso da comunicação como forma de incentivar a prática da cidadania é tarefa gigantesca, que não acaba nunca e está mostrando resultados incríveis na Assembleia Legislativa do Pará. Desde o primeiro dia de 2024 a Alepa lidera o ranking do país, medido pela Social Media Gov, a principal plataforma de monitoramento das redes sociais de todos os órgãos públicos brasileiros. O reconhecimento nacional veio nesta quinta-feira (25), durante o evento #redeswegov, que reuniu profissionais da comunicação pública de todo o país em Florianópolis (SC).

Entre as onze categorias do prêmio, a Alepa foi a única assembleia do país finalista, na de “Inclusão e Diversidade”, junto com o Tribunal de Justiça do Ceará, Governo do Rio de Janeiro, Exército Brasileiro, Defensoria Pública da Bahia e a Câmara Municipal de Fortaleza. O Governo do Rio de Janeiro ganhou o prêmio com uma collab para anunciar a Lei Gui.

O prêmio é festejado por toda a equipe que compõe a Assessoria de Imprensa e Divulgação da Alepa, que tem como coordenadora a jornalista, publicitária e professora Alda Dantas, bacharela em Comunicação Social, mestra em Marketing e pós-graduada em Administração e Projetos Culturais, que soube focar o objetivo de estreitar o relacionamento com o cidadão. A comunicação digital da Alepa é inclusiva, valoriza os direitos humanos, a diversidade e combate as fake News, e é executada por uma equipe amazônida parauara. O jornalista Rogério Paiva, que está à frente das mídias digitais da Alepa há três anos, foi a Florianópolis receber a premiação. Servidor efetivo da Casa, ele é especialista em Comunicação Institucional e em Mídias Digitais e Mestre em Comunicação e Jornalismo, com experiência em telejornalismo, comunicação corporativa, assessoria de comunicação e de imprensa.

Quando o dirigente diz coisas como “esqueça, por enquanto, esse negócio de mídias sociais”… a luta é inglória. Felizmente este não é o caso do presidente da Alepa, deputado Chicão, que entende as necessidades de comunicação e sua gestão é a que mais investiu na modernização do parlamento, valorizando a prata da Casa e democratizando a informação.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

TRE do Pará atende pessoas com deficiência

Anterior

Uma história leva à outra, n° 13

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *