0

Na falta de decisão mais útil a tomar, o presidente da Câmara Municipal de Juruti, José Glauber de Sousa Andrade, proibiu aos jornalistas, blogueiros, comunicadores e cidadãos em geral qualquer gravação de imagens dentro da sede do Legislativo, esquecendo que o prédio e a Casa são públicos e que a população tem o direito constitucional de saber o que os vereadores fazem e deixam de fazer. Ademais, a liberdade de imprensa é um dos pilares do Estado de Direito e não tem cabimento tal medida.

Pois nada disso impediu o desinformado legislador presidente da Câmara de baixar o ato e dar a ele publicidade ostensiva, inclusive no plenário da Câmara, em clara tentativa de intimidação e censura.

O motivo dessa investida esdrúxula é que tem havido alguns barracos entre vereadores, que acabam saindo literalmente “no braço”, e a divulgação dos fatos incomoda os edis, que querem posar de bonzinhos, educados e produtivos.

Recentemente, uma cena de baixaria explícita foi gravada por um jornalista e ele chegou a ser proibido de filmar.

É bom que os vereadores obedeçam o decoro parlamentar, tenham postura digna e respeitem as leis e a Constituição. Confiram o vídeo e a foto.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Um dia qualquer

Anterior

Belém recebe 49 novos médicos e terá 219 até o fim do ano

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *