0
Há exatos 35 anos, no fatídico dia 10 de março de 1980, o estudante do curso de engenharia da UFPA César Moraes Leite tombou morto, aos 19 anos, dentro de uma sala de aula do pavilhão F do setor Básico do campus do Guamá, atingido pela bala da arma de um agente do regime militar que caiu e disparou. O trágico episódio tornou pública a estratégia de infiltração nas universidades. 

Nesta terça-feira (10), às 9h, no auditório do Instituto de Letras e Comunicação, o Mestrado em Comunicação e a Faculdade de Comunicação da UFPA promovem o debate “Ditadura militar às margens do Rio Guamá: 35 anos sem César Moraes Leite”, sobre a experiência de autoritarismo vivenciada pela Universidade, uma oportunidade para que as novas gerações conheçam e reflitam sobre um período de perda de direitos e liberdades no País. Os convidados são a professora Edilza Fontes, presidente da Comissão “César Leite” Memória e Verdade da UFPA, e o professor e poeta João de Jesus Paes Loureiro, uma das vítimas da repressão e antigo professor do curso de Comunicação Social.  

Durante o resto da semana, até o dia 13, serão realizados outros debates, minicursos, oficinas e rodas de diálogo. Confiram aqui a programação detalhada. 
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Feliz Dia da Mulher!

Anterior

Defesa escatológica do vice baiano

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *