0

O movimento católico progressista alemão Iniciativa Igreja de Baixo pediu a saída do papa Bento XVI por causa das denúncias de pedofilia envolvendo religiosos.

A gota d’água foi na sexta-feira, quando veio à tona que um padre pedófilo foi transferido da diocese de Essen, na Renânia do Norte-Vestefália, onde cometeu violências contra menores, para Munique, em 1980, época em Joseph Ratzinger era arcebispo de Munique e Freising. O padre Peter H. continuou a abusar de crianças após a transferência e foi condenado a 18 meses de prisão em 1986.
Atualmente com 62 anos, ele é desde 2008 pároco de Bad Tölz, na Baviera, mas agora os fieis souberam de seus antecedentes.

Os alemães estão indignados com denúncias de abusos sexuais cometidos nos anos 1970 e 1980 em escolas jesuítas, além de suspeitas no coro da catedral de Regensburgo, que foi dirigido pelo irmão do Pontífice, Georg Ratzinger, durante trinta anos.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Terça seca

Anterior

Vale condenada

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *