0
Em 7 de janeiro de 1835, descendentes dos Ajuricabas e Nheengaíbas, ajudados por africanos, não suportaram mais humilhações de séculos de escravidão. Romperam violentamente as amarras para vingar a perseguição e morte do líder cônego Batista Campos. Era a Cabanagem.

Hoje, com as armas da cidadania, o povo paraense se alevanta para expulsar os traidores, os aproveitadores, os cínicos, os pérfidos, os escroques que se locupletam com o dinheiro público, em detrimento da população sofrida.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Ficha & prontuário

Anterior

Novo Museu do Círio

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *