Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Temer desmoralizado e Jader envolvido

Desgraça pouca é bobagem. O presidente da República está sendo desmoralizado a cada nova revelação da delação premiada do grupo Friboi. É vergonhoso, estupefaciente. Roberto
Saud, diretor da JBS, em depoimento ao Ministério Público Federal, disse: 

O Michel Temer fez uma coisa até deselegante. Porque nessa eleição só vi dois
caras roubar deles mesmos. Um foi o Kassab, o outro o Temer. O Temer me deu um
papelzinho, e falou: ‘Ó, Ricardo, tem um milhão, que quero que você entregue em
dinheiro nesse endereço aqui’. O Temer falou isso. Na porta do escritório dele,
na calçada. Só eu e ele na rua. Na Praça Panamericana.”
(assistam no trecho que começa a partir
de 12 minutos e 28 segundos do vídeo aí em cima).

E arrematou:

Eu já vi o cara pegar o dinheiro da campanha e gastar na campanha. Agora, ganhar um dinheiro do PT e guardar pra ele no bolso dele, eu acho muito difícil. Aí, ele e o Kassab fizeram isso. Só o Temer e o Kassab guardaram o dinheiro pra eles usarem de outra forma“. (assistam no minuto 15’30”).

O diretor da JBS disse que enviou até o local indicado por Temer, na Vila Madalena, em São Paulo, Florisvaldo Caetano de
Oliveira, seu empregado encarregado das entregas de dinheiro a políticos, e descobriu que era a sede da Argeplan Arquitetura e Engenharia.
 Lá, Florisvaldo foi recebido pelo próprio João Baptista Lima Filho, dono da empresa e notório amigo de Temer já envolvido na Lava-Jato, que pediu que o funcionário retornasse dias depois, dizendo que só ele colocaria a “mão nesse
dinheiro”.

A partir do minuto 15′, Saud descreve como Florisvaldo
estacionou de ré na calçada para entregar a bufunfa, e mostrou fotos da
fachada do imóvel, afirmando que uma câmara de vigilância teria filmado o
encontro. A origem do dinheiro? Uma conta que a JBS mantinha com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento 
Econômico e
Social (BNDES) para financiar a campanha do PT em 2014, recheada com
 R$ 300 milhões destinados a pagamento de propinas. Simples assim. O meu, o seu, o nosso suado dinheirinho.

Aliás, logo no início do
vídeo, o executivo conta que, em meados de 2014, o então ministro Guido Mantega teria solicitado a
Joesley Batista, dono da JBS, que sacasse R$ 35 milhões para entregar a
senadores do PMDB a fim de garantir o apoio de todo o partido à reeleição de Dilma. Entre os senadores está citado o senador Jader Barbalho, sob a alcunha “Jacaré”. Jader nega que tenha vendido seu voto ou o de seu partido.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *