O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, convocou e empossou Torrinho Torres, primeiro suplente do Podemos, na vaga do deputado Igor Normando, que está licenciado para exercer o cargo de secretário de Estado de Articulação da Cidadania. O novo parlamentar…

Reconhecimento máximo da Associação Paulista de Críticos de Artes a obras de Literatura, Música popular, Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão, o Prêmio IPCA, anunciado na segunda-feira, 6/2, contemplou o livro de contos “Eu já…

A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Temer continua presidente

Nada de novo há no rugir da tempestade, já dizia Maiakovski. Que, aliás, Dilma recitou em seu desfecho. Como já se previa, a Câmara dos Deputados rejeitou há pouco a denúncia contra o presidente Michel Temer. O voto de número 172 foi da deputada Rosângela Gomes (PRB-RJ). Mas antes do voto dela o governo já tinha conseguido matematicamente barrar a denúncia, considerando a soma dos votos a favor do parecer da Comissão de Constituição e Justiça (contrário à admissibilidade da denúncia), ausências (13) e abstenções (1).
Isto porque no mínimo teriam que ser 342 votos contra o parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) para autorizar o Supremo Tribunal Federal a investigar o presidente. Agora, a denúncia só pode ser retomada depois que Temer deixar a Presidência da República. 
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, vai comunicar ao STF o resultado.


Desde as 9h, a oposição requereu cinco vezes o adiamento da votação, sem êxito. Cinco deputados da oposição protocolaram no Supremo um mandado de segurança pedindo liminar que garantisse a manifestação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no plenário. A ministra Rosa Weber indeferiu. Para variar, a votação foi marcada por troca de insultos entre governistas e oposicionistas e tumultos protagonizados pelo notório deputado federal Wladimir Costa.


Cliquem aqui e vejam como cada deputado votou.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *