A Prefeitura de Belém está convidando os moradores da Cidade Velha à Consulta Pública sobre a reforma e revitalização do prédio ao lado da Igreja da Sé, onde por muito tempo funcionou a Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel).…

As eleições de 2022 coincidem com o bicentenário da Independência e os 90 anos de conquista do direito do voto feminino, ocorrida em 24 de fevereiro de 1932. Durante todo o Império, as brasileiras não puderam votar e somente 43…

O Ecomuseu da Amazônia, da Fundação Escola Bosque (Funbosque) promoveu no domingo, 25, na Ilha de Cotijuba, o roteiro patrimonial, pelo encerramento da 16ª Primavera dos Museus. Os visitantes conheceram o pólo do Ecomuseu, a história de Cotijuba, que passa…

A prefeitura de Portel, em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, lançou na sexta-feira passada (23) o projeto Marajó Sustentável, aliado ao Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Seringueira no Estado do Pará…

Tem que fiscalizar

O blog aplaude a ação do Promotor de Justiça Benedito Wilson Sá, de ordenar os horários de circulação das carretas em Belém, onde as ruas, além do descaso do alcaide, são literalmente afundadas pelo excesso de peso desses veículos, que ainda por cima infernizam o trânsito.
Diz o Art.3º. da resolução Nº 258 do Contran – a chamada Lei da Balança – que “nenhum veículo ou combinação de veículos poderá transitar com peso bruto total ou com peso bruto total combinado com peso por eixo, superior ao fixado pelo fabricante, nem ultrapassar a capacidade máxima de tração da unidade tratora.” Exemplo típico de que é letra morta em Belém foi a cena que vi na sexta-feira: uma carreta abarrotada de madeira virou em plena Av. Marechal Hermes, em frente aos galpões da CDP. Felizmente, como a via é cheia de crateras imensas e lama, não havia nenhum pedestre, ciclista nem motorista passando ao lado na hora.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *