Membro da Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon), a professora doutora Leila Márcia Elias participou recentemente do Congresso Internacional de Contabilidade da Universidade de São Paulo. Como parte da programação do Núcleo de Contabilidade e Meio Ambiente da USP, que…

Shäron Moalem, médico que ficou conhecido mundialmente por prever no começo da pandemia da Covid-19 que mais homens morreriam vítimas do vírus do que mulheres, diz que o sexo feminino é mais forte que o masculino quanto à sobrevivência, assim…

No período de 10 a 28 de agosto, o navio-hospital-escola Abaré começa nova expedição, oferecendo a 75 comunidades do rio Tapajós nos municípios de Santarém, Aveiro e Belterra serviços de atenção básica à saúde: consultas médicas, odontológicas e de enfermagem,…

O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil ativou nesta quarta-feira (4), o Grupo de Embarcações de Operações Ribeirinhas do Norte uma nova Organização Militar em Belém (PA), com propósito de contribuir para a aplicação do Poder Naval na área…

Tem que doer no bolso

O aterro sanitário de Marabá foi interditado pela Justiça Federal, a pedido do MPF, por representar risco aos vôos no aeroporto da cidade, que fica a menos de 7 Km de distância do lixão. Dezenas de urubus vivem na área e há anos a Prefeitura empurra com a barriga o problema.

Para não causar solução de continuidade na coleta do lixo, foi dado mais um mês de prazo à Prefeitura a fim de que providencie outro local. Mas será aplicada multa pessoal diária ao prefeito, além de multas ao município – RS 5 mil por dia e R$ 200 mil após o trânsito em julgado da sentença -, que podem aumentar em caso de nova desobediência.


Louve-se a iniciativa do procurador da República em Marabá. Em quase todo o Pará, a situação se repete há anos, todos os prefeitos têm consciência do perigo de morte para seus munícipes, mas não tomam providências, nem são acionados por isso.


O blog defende que a punição deve ser
exclusivamente pessoal aos prefeitos que deram causa e se omitiram. Como se sabe, o bolso é a parte mais sensível de certos indivíduos que não hesitam em arriscar a vida dos outros. Multar o município penaliza a própria população, que paga seus impostos, não tem o devido retorno em bem estar e ainda é obrigada a arcar com o ônus de gestões temerárias de seus alcaides.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *