0

A socióloga Marília Ferreira Emmi, do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da UFPA, dedicou sua tese de doutorado sobre a presença italiana na Amazônia. Entre outros importantes dados, ela resgata que o segundo grupo migratório veio espontaneamente para os centros urbanos. Era formado por pequenos proprietários e artesãos originários da Calábria, Basilicata e Campânia, que com recursos próprios emigraram e se instalaram em Belém e Manaus e em municípios do Baixo Amazonas como Óbidos, Santarém, Oriximiná, Juruti, Faro, Terra Santa e Alenquer. Segundo a Profa. Emmi, em termos regionais esse segmento era mais numeroso e teve maior continuidade. Eles se firmaram, sobretudo, como comerciantes. Leia a matéria completa em “Últimas Notícias”, na home www.uruatapera.com.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

UHE-Belo Monte

Anterior

Iniciativa elogiável

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *