Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Rede de proteção a crianças


Segunda-feira, 18, é o Dia Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Criança e Adolescente. A data foi instituída, via Lei Federal nº. 9.970/2000, porque em 18 de maio de 1973, em Vitória (ES), o “Crime Araceli” chocou todo o País pela barbárie. Araceli, aos 8 aninhos de idade, foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens da classe média alta. O crime, apesar de sua natureza hedionda, prescreveu impune. Organizações da sociedade civil e de governo nos Estados e municípios participam das mobilizações em torno da data. Serão realizadas palestras, seminários, workshops e caminhadas, entre outras atividades para conscientizar a população sobre a importância da defesa de crianças e adolescentes contra a violência sexual. Na Escola Municipal Alzira Pernambuco, de Belém do Pará, localizada na Trav. Perebebuí, entre Duque de Caxias e Visconde de Inhaúma, foi constatado caso de exploração sexual. Os promotores de justiça José Haroldo Carneiro Matos e Sílvia Branches Simões, da 9ª 10ª Promotorias de Justiça da Infância e Juventude do Ministério Público Estadual, a Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA) da Polícia Civil, o Conselho Tutelar do bairro, o ProPaz, a juíza da Vara de Crimes contra Criança e Adolescente, Vanessa Figueiredo, psicólogos, assistentes sociais e pedagogos realizam lá, às 8h, programação educativa. Já o Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Pará promove na quarta-feira, 20, uma oficina de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. As inscrições são gratuitas, e podem ser feitas aqui

É preciso romper o pacto de silêncio que encobre esses crimes. Denunciar é a única forma de ajudar meninos e meninas vítimas de abusos. Denunciem aos Conselhos Tutelares, ao MPE, às Varas da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça, às delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente e às delegacias da Mulher. Ou ao Disque 100, que funciona diariamente de 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. A identidade do denunciante é mantida em absoluto sigilo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *