A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Em Itupiranga, força-tarefa do Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá, Auditoria Fiscal do Trabalho, Defensoria Pública da União e Polícia Federal resgatou sete trabalhadores em condições análogas às de escravos, em duas fazendas no sudeste paraense, e prendeu…

Quem pode ajudar Alter-do-Chão?

Foto: Erik Jennings
A jornalista Ronilma Santos, correspondente da Folha de São Paulo em Santarém, publicou matéria no jornal sobre a balneabilidade da praia de Alter-do-Chão, mostrando que pesquisa da Universidade Federal do Oeste do Pará – Ufopa aponta ter sido detectada a presença de coliformes totais e de termotolerantes em mais de 80% das amostras. Por causa disso, foi alvo de críticas e tentativas de desmoralização por alguns integrantes da assessoria de imprensa da Prefeitura. É o exemplo típico – e desgraçadamente muito frequente – dos que, pagos com o dinheiro público para servir de canal aberto de forma permanente com a sociedade, comportam-se como pitbulls, fazendo papel avesso ao seu dever: semeiam a discórdia e sonegam informação, expondo o governante a que assessoram, que, ao invés de ser protegido fica no olho do furacão pela postura dos que deveriam promover o diálogo e o entendimento. Cada vez mais assistimos a tal conduta, principalmente nas redes sociais. O resultado vem a galope para os políticos assessorados: na campanha eleitoral, viram repositório de toda a antipatia e ódio que lhes foi granjeado pelos próprios assessores. A História está aí para quem quiser constatar. Como diz o caboclo: errar é humano, persistir no erro é burrice. 

É evidente que o único caminho razoável é a Prefeitura divulgar (e efetivamente tomar!) medidas para o bem estar da população. Negar o fato e atacar quem cumpre o dever de informar revela despreparo para lidar com a imprensa, falta de profissionalismo e mera bajulação, do que o povo está farto.  Conheço o prefeito Alexandre Von desde a infância, estudamos juntos no Colégio Dom Amando, e jamais soube de qualquer ato seu de truculência. É inteligente e sabe que o melhor é prestar os necessários esclarecimentos à sociedade, promover audiência pública com a presença de especialistas a fim de discutir com franqueza os encaminhamentos, mostrando honestidade de propósitos e, obviamente, pedir a colaboração de todos, porque só assim o problema poderá ser equacionado e resolvido. Afinal, lançar esgoto na praia é algo que todos compreendem ser inadmissível. Que o percentual de esgotamento sanitário nas cidades paraenses é ínfimo, ninguém ignora. Cabe o debate organizado e propositivo, no sentido de buscar recursos financeiros para enfrentar essa deficiência que não é de agora e sim histórica. Por outro lado, não dá para ignorar a ameaça que há anos paira sobre toda a região, por causa da contaminação por mercúrio e cianeto utilizados nos garimpos do rio Tapajós, que vêm se espalhando em direção à sua foz. O Ministério Público estadual e o federal precisam agir.

Em nota, a Prefeitura
de Santarém esclarece que já baixou o Decreto nº
055/2015, de 14/02/2015 (leiam a íntegra aqui), proibindo 
a ancoragem e a circulação de embarcações que despejem resíduos nas águas onde
navegam, e  também o
transporte, circulação e permanência de animais domésticos nas praias da Vila
de Alter do Chão, além de
 efetivar ações de saúde, como vacinação; palestras educativas e prestação de
informações à comunidade escolar e à população em geral sobre os riscos e formas de prevenção das doenças de veiculação hídrica ou alimentar;
monitoramento da água para o consumo humano em pontos estratégicos da Vila;
coleta de material biológico para confirmação ou descarte de casos suspeitos de
hepatite A; exames para detecção de casos ocultos; curso de manipulação
de alimentos para os profissionais de bares e restaurantes; distribuição de
hipoclorito de sódio e orientação quanto a utilização do produto;
vistoria sanitária; e captura de
animais errantes.
A Prefeitura tornou públicos os
laudos emitidos no dia 15/01/2015, pela Divisão de Vigilância em Saúde, que atestam a satisfatoriedade da água no microssistema de
abastecimento da Vila de Alter do Chão, tanto na caixa de concreto quanto na
caixa de fibra, comprovando a ausência de coliformes através de análise
físico-química e bacteriológica. No último dia 13/02, a DIVISA emitiu novo
laudo, referente ao bebedouro da Escola Municipal Antônio de Sousa Pedroso,
atestando, também, a qualidade da água por meio de análise físico-química e
bacteriológica, com ausência de coliformes.
A
Secretaria Municipal de Meio Ambiente está fiscalizando, licenciando e o monitorando atividades potencialmente poluidoras, como a
criação de aves e outros animais nas margens dos igarapés que desaguam no Lago
Verde, a partir da conclusão do Plano de Uso da APA e do Mapa de Utilização do
Solo, autuando as consideradas impactantes ambientalmente. Já a
 Secretaria Municipal de Infraestrutura vem promovendo ações de
limpeza e coleta de resíduos domiciliares, com frequência diária desde dezembro de 2014, usando caminhão
coletor. 
Nas
praias e praças de Alter do Chão, há 40 banheiros
públicos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *