0

Agora trata-se de decisão oficial. O PT confirmou apoio à reeleição do prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL), e vai apontar o candidato a vice-prefeito da futura chapa. O Diretório Municipal reuniu na manhã deste domingo, 28, e decidiu de forma unânime.

Com isso, sete partidos já declararam acompanhar a candidatura de Edmilson, formando uma ampla frente de centro-esquerda.

“Reconhecemos a reeleição do prefeito Edmilson como o melhor caminho para Belém e a população. É um prefeito que tem o comprometimento com as questões sociais, além de ter a mesma linha de atuação e história parecida com a do presidente Lula”, destacou o presidente do Diretório Municipal do PT, Bira Rodrigues. A decisão será comunicada oficialmente ao Diretório Nacional da legenda.

Os potenciais nomes à Vice-Prefeitura ainda serão debatidos internamente pela sigla, com a Federação (formada junto ao PCdoB e PV) e com o PSOL, adiantou Bira.

“Sou grato pelo apoio do meu partido, o PSOL, e dos nossos aliados no Rede, PCdoB, PV, PDT, PSB, e, especialmente ao PT, que, neste domingo, coroou em plenária o alinhamento conosco nessa missão. Obrigado por compartilharem comigo o sonho e o compromisso de transformar Belém em uma cidade cada vez melhor para todas e todos”, declarou Edmilson Rodrigues ao tomar conhecimento da decisão do diretório petista.

Estavam presentes na reunião do Diretório Municipal do PT 45 do total de 46 dirigentes. Um deles se ausentou durante o evento por motivo de saúde.

Bira avalia que a decisão unânime do partido “reconhece que a atual gestão enfrentou problemas e não se exclui disso, pois estamos em secretarias importantes – Secretarias de Economia (Secon) e Saneamento (Sesan) e também na Fundação Papa João XXIII (Funpapa). Mas as condições objetivas reais para fazer uma gestão melhor não estavam dadas. Nos dois primeiros anos enfrentamos a pandemia, tendo como prioridade salvar vidas. O governo federal da gestão de Jair Bolsonaro inviabilizou a prefeitura de realizar ações imediatas para a melhoria da qualidade de vida da população, como empréstimos em bancos federais e a redução de repasses de fundos da educação e da saúde. Não havia a parceria necessária entre os entes federativos. E, ainda, houve queda na arrecadação dos municípios”, enumerou.

A expectativa petista é de que a relação da gestão de Edmilson com o governo do presidente Lula seja ampliada e fortalecida.

“Nos últimos três anos, nossa cidade enfrentou uma queda de cerca de R$ 600 milhões em receitas. Escolhi enfrentar os desafios, mesmo que as soluções não viessem no tempo desejado. A mudança chegou. As ruas estão cada dia mais limpas, os bairros, especialmente os mais carentes, ganham vias pavimentadas, e os patrimônios históricos, como o Cine Olympia, o Mercado de São Brás e o Ver-o-Peso, estão sendo revitalizados, trazendo de volta o orgulho de nossa rica cultura. O presidente Lula atendeu ao meu pedido para trazer a COP 30 para nossa capital e, com isso, teremos um avanço substancial em nossa economia e turismo, abrindo oportunidades de emprego e de melhor qualidade de vida às nossas famílias”, pontuou o prefeito.

Fotos Wallace Sousa

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Fogo no Líder em Castanhal

Anterior

O que comemos?

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *