A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

PT do Pará em ebulição

O clima está péssimo no PT parauara. Um grupo de filiados históricos pediu a impugnação da filiação de Josenir Nascimento, virtual primeiro suplente de Beto Faro na chapa ao Senado.

Considerados petistas beneméritos, desvinculados das tendências internas, eles encaminharam ontem à noite ao Diretório Regional do PT-PA o documento. E justificam a recusa da filiação alegando que Josenir Nascimento é pessoa de confiança da família Barbalho, que controla o MDB no Pará, e seu ingresso na sigla tem como objetivo funcionar como “barriga de aluguel” do partido do governador Helder Barbalho e do senador Jader Barbalho, a fim de gerar um suplente de senador. Argumentam os autores do pedido que a vaga de suplente da candidatura ao Senado Federal já fora definida pelo Encontro Estadual do PT, no dia 14 de janeiro de 2022. O documento termina com um desabafo: “os signatários não aceitam que o partido que governa o Pará dite regras a uma agremiação que possui métodos e instâncias de decisões democráticas”.

É tão ruim a situação que o ex-secretário de Estado de Educação do Pará, Luis Cavalcante, um dos fundadores do PT, postou em sua página no Facebook um “Fora, Josenir!”, com a ficha de filiação dele. A Comissão Executiva Estadual está reunida para tentar uma solução ao impasse, mas está difícil. Os grupos liderados pelo senador Paulo Rocha e pelo deputado federal Zé Geraldo não abrem mão de seus espaços. Até porque tudo foi definido em janeiro, após meses de negociações internas para pacificar o partido, e agora Beto Faro tenta empurrar goela abaixo articulação extrapartidária.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Participe da discussão

3 comentários

  1. O consenso é fundamental para o equilíbrio das demandas políticas de um partido, o que não estamos vendo no PT de nosso estado. Esta divisão interna vai ser determinante para o destino do partido, no que tange a este pleito eleitoral.

  2. O psol segue o mesmo caminho : “puxadinho dos barbalhos”. É a chamada “esquerda de aluguel” ou “gourmet”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *