Os dirigentes do Sindicato e da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa festejaram o resultado da reunião de hoje com o presidente da Alepa, deputado Chicão, que também convidou para o encontro o Chefe de Gabinete da Presidência, Reginaldo Marques…

A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Pelo resgate do nosso pioneirismo

O Governo de São Paulo lança hoje o Aprendiz Paulista, para auxiliar estudantes com idade entre 14 e 24 anos na busca por trabalho compatível com os cursos em que estão matriculados.
Para quem não sabe, o Pará foi pioneiro no Brasil, em 2005, quando o então governador Simão Jatene lançou, através da Seduc, o programa Galera Aprendiz, qualificando alunos do ensino médio da rede pública estadual para o mercado de trabalho, além de incentivá-los aos estudos, através de bolsa–auxílio, alimentação e auxílio transporte. Os alunos-estagiários atuavam nas áreas administrativa, técnica, tecnológica e acadêmica, nas próprias escolas onde estudavam, sem vínculo empregatício e pelo prazo de seis meses, prorrogável por igual período.
Os critérios para participar levavam em consideração a produtividade do aluno: frequência, notas, além de renda familiar de até dois salários mínimos. Com carga horária de 20 horas semanais, o estágio incluía, ainda, cursos de aperfeiçoamento profissional, através de termo de cooperação técnica da Seduc com o Sebrae e as Organizações Sociais Escola de Trabalho e Produção. O benefício chegou a 94 municípios do Pará. E inexplicavelmente foi extinto. A governadora Ana Júlia Carepa poderia resgatá-lo. Fica a sugestão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *