0

Porto Velho vai sediar a 2ª Conferência Internacional de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico Brasil-Bolívia-Estados Unidos-Inglaterra. Entre as novidades, o jornalista e escritor Gary Neeleman relatará aos participantes a localização do fotógrafo norte-americano Oscar Pyler, que guarda fotos inéditas da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, considerada a mais isolada do mundo.

Há anos, o escritor Manoel Rodrigues Ferreira, autor de “A Ferrovia do Diabo”, ofereceu o seu acervo ao Estado de Rondônia, sem êxito. O resultado é que, desde 2000, há mais fotos da EFMM no Museu Paulista da USP (o Museu do Ipiranga) do que em Porto Velho. A conferência vai propor esse resgate.

A programação inclui um leque de problemas ambientais, notadamente aquecimento global e as agressões à floresta amazônica cujos reflexos são mundiais. Está dividida em três painéis: patrimônio histórico material e imaterial; patrimônio socioeconômico-cultural-ambiental; e patrimônio cultural e aspectos jurídicos. Quem conta e convida para o evento é o jornalista Montezuma Cruz.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

De lobos & raposas

Anterior

Edmilson se manifesta sobre a Sesma

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *