1

O professor doutor Pedro Fernando da Costa Vasconcelos, docente da Universidade do Estado do Pará e ex-diretor geral do Instituto Evandro Chagas, está novamente na listagem dos cem mil cientistas mais influentes do planeta, classificado entre os 2% maiorais em suas áreas de atuação, segundo o ranking Updated science-wide author databases of standardized citation indicators, publicado pela Editora Elsevier e elaborado em conjunto com a Universidade de Stanford, dos Estados Unidos. Também constou no ranking mundial de melhores cientistas, em 2020, que avalia o impacto da atuação de cientistas internacionais, com base em registros do Scopus, um dos mais importantes bancos de dados de resumos e citações científicas, cujas informações estão atualizadas até 2022. A análise leva em consideração critérios como o número de citações dos autores em trabalhos científicos.

Nascido em Monte Alegre (PA) em 1957, ele tem pós-doutorado na área de microbiologia com especialização em virologia molecular pela University of Texas (EUA). Professor e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Biologia Parasitária na Amazônia da Uepa, em colaboração com o Instituto Evandro Chagas, entre os estudos de maior repercussão mundial de Pedro Vasconcelos figuram o artigo original que descreveu pela primeira vez na história mundial os casos de microcefalia em crianças filhas de mães que se infectaram com o Zika vírus durante a gravidez, publicado na Revista Science, que alcançou o número de 918 citações. Outro artigo científico impactante é seu estudo sobre a patogenia da microcefalia e as respostas imunes inatas e adaptativas em casos fatais causados por Zika vírus, publicado na Scientific Reports do grupo Nature, com 4.970 citações, sendo o artigo sobre Zika com maior número de citações no mundo.

Durante a pandemia de Covid-19, o professor Vasconcelos desempenhou papel fundamental como presidente do Comitê de Biossegurança da UEPA, além de fazer parte da equipe que conduziu o inquérito soro-epidemiológico em municípios paraenses, iniciativa do Governo do Estado.

Docente há 15 anos do curso de Medicina do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Vasconcelos é expert nas áreas de microbiologia, medicina tropical e patologia, com ênfase em virologia, epidemiologia, biologia molecular de vírus, patogenia e descrição de novos arbovírus e neurociências, e neuroinfecções causadas por arbovírus. Sua vasta produção científica está publicada em mais de 348 artigos e 60 capítulos em periódicos e livros científicos no Brasil e no exterior. “Entendo ser um reconhecimento aos estudos científicos que tenho desenvolvido. Estar nesse ranking destaca a importância da ciência no país e fico feliz em fazer parte desse seleto grupo, onde pretendo ver mais pesquisadores locais”, declarou o cientista parauara.

Em agosto deste ano, Pedro Vasconcelos recebeu homenagem da Rede de Laboratórios de Diagnóstico de Arboviroses, em Santo Domingo, capital da República Dominicana, durante a reunião anual da Relda, que é sediada em Washington (EUA) e integra a Organização Pan-Americana de Saúde.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Abrajet, do IHGP e do IHGTap, editora do portal Uruá-Tapera.

Posse dos procuradores de Justiça João Gualberto e Armando Brasil no MPPA

Anterior

Presidente da OAB Nacional em Belém

Próximo

Vocë pode gostar

1 Comentário

  1. Parabéns ao Prof. Doutor Pedro Fernando, não se chega a este posto ao acaso, uma caminhada de dedicação, muita pesquisa e contribuição à ciência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *