0
O advogado Jânio Siqueira, que defende Regivaldo Galvão, o Taradão, extrapolou ontem em sua atuação. Exigiu a retirada da advogada Mary Cohen, da CNBB Norte, criando constrangimento tal que, embora o juiz Moisés Flexa tenha garantido sua permanência, ela se retirou. O advogado, ex-Constituinte e atual candidato a presidente da República pelo PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, e o procurador da República Felício Pontes Jr. também saíram, em sinal de repúdio ao gesto.

O promotor de Justiça Edson Cardoso de Souza reagiu e também foi atacado pelo defensor de Taradão, que disse não ter ele moral para repreendê-lo. Ao que Edson retrucou: “_ Vou usar uma frase do filósofo contemporâneo Zeca Pagodinho: ‘Guarde a língua na boca. Sua verdade é tão pouca… Como pode ter razão?‘. Mais tarde, o advogado pediu desculpas ao promotor. É aquela velha história. Ofende em público e se retrata em particular.

Lamentável. A Ética passou longe. A OAB-PA está devendo uma manifestação a respeito.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Taradão sentenciado a 30 anos

Anterior

Dia D no Parazão

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *