0
A Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz está sem eira nem beira. Com o teatro fechado para reformas, os músicos ficaram sem local para tocar e até para guardar os instrumentos. Para ensaiar a apresentação do Réquiem Encomendação de Almas, de Luiz Pardal, apresentado nas Quartas Culturais da UFPA, a orquestra se dividia em grupos, porque não cabia no lugar. O Teatro Maria Sylvia Nunes poderia abrigar a OSTP, mas a solução esbarra num detalhe relevante: quem vai pagar a OS 2000 pela utilização do espaço?
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Dia da Língua Nacional

Anterior

Falta de ação

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *