0

O clima político em Oriximiná está efervescente. Agricultores, pequenos empresários e vereadores denunciam que empreiteiras contratadas para fornecimento de matéria-prima a ser usada na construção das torres do linhão que levará a energia da UHE-Tucuruí (PA) até Manaus (AM), passando pelos municípios da Calha Norte do Amazonas, estão utilizando máquinas e funcionários da Secretaria Municipal de Infraestrutura.
Questionado, o secretário Alfeu Santo Carpeggiani acusou o vereador Toninho Picanço (PSDB) de se beneficiar indevidamente, durante oito meses, com o aluguel de uma caçamba da Prefeitura. Descontrolado, o vereador foi até a Seinfra, invadiu o gabinete do secretário e tentou agredi-lo fisicamente. Pelo celular, testemunhas transmitiram os acontecimentos ao radialista Hamilton Souza, que narrou tudo ao vivo. Depois de todo o barraco – pasmem! – o vereador tucano desistiu de assinar o pedido de CPI para esclarecer os fatos.
O episódio chocou a população, que promete fazer uma manifestação em frente à Seinfra, com baldes de água, sabão e escovões, para uma lavagem simbólica da calçada da secretaria comandada há 12 anos pelo engenheiro Alfeu Santo Carpeggiani.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Quem encara?

Anterior

Curió em cana

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *