0
Vejam só que servidor exemplar: após 12 horas de diligência, atravessando estradas intrafegáveis, mata densa e clima hostil, o oficial de justiça André Freitas Pereira, da Vara do Trabalho de Santa Isabel do Pará, a 38 km de Belém, cumpriu Imissão de Posse, na fazenda Morro Alto, na quinta-feira (17), na região de Tomé Açu-Pa, 260 Km da Vara Trabalhista. Para tanto, saiu às 5h20. Por volta de meio dia, retornou ao Cartório e encontrou Benedito Carvalho, fiel depositário do bem, que o advertiu da necessidade de contingente policial, de que o posseiro é latifundiário e havia declarado a intenção de se manter lá, além do que o imóvel é distante, cerca de 60 Km mata adentro.
A partir de tais declarações, o oficial poderia ter retornado e certificado as circunstâncias, passando ao Estado as providências de direito. Mas resolveu ir até a fazenda para fazer cumprir o mandado. Sem se intimidar, seguiu junto ao arrematante, Odalécio Pantoja. No caminho encontrou o filho do posseiro, José Aldomário Zani, que o levou até o lugar, onde o posseiro e seus diversos empregados estavam a postos. Pois conseguiu, de forma pacífica, promover entendimento para desocupação do imóvel arrematado, com prazo até o dia 02.10.2009.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

O fantasma da Codebar

Anterior

Fim da linha

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *