0

As estratégias para as eleições de 2026 já estão sendo executadas nos bastidores e o serpentário político parauara ficou agitado. Obviamente, as eleições municipais do ano que vem serão decisivas para os projetos de poder antagônicos que estão postos. Assim como o controle de partidos políticos, tática que rendeu a reeleição com folga histórica do governador Helder Barbalho no ano passado. Ele garantiu a vitória dois anos antes, ao fechar em nível nacional o controle das agremiações, cavando embaixo dos pés de seus adversários. Não por acaso, já se avizinha nova revoada entre as siglas novamente.

O xadrez eleitoral envolve jogadas ousadas para que o tabuleiro seja previamente montado com cenário favorável. Que peão será sacrificado? Quem será promovido? Quais serão garfados? O rei se movimenta em silêncio para avançar no território adversário. Vazamentos de informações cuidadosamente calculados para avaliar reações são postos em prática. São os célebres “balões de ensaio” do dialeto político.

Ananindeua simboliza a luta pelo poder no Pará. Moram lá as principais lideranças políticas do Estado: o governador e sua esposa, Daniela, que tem luz própria; o prefeito Dr. Daniel e sua esposa, Alessandra, a deputada com mais votos; e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, a quem diariamente acorrem prefeitos, vereadores, empresários, deputados e líderes de categorias profissionais. A força política de Chicão conta, ainda, com a parceria do poderoso chefe da Casa Civil, Luiziel Guedes, que despacha toda terça-feira no Palácio Cabanagem. Luiziel é, como diz o caboclo, “passado na casca do alho”, muito habilidoso no trato e negociador eficiente, e seu desempenho azeita a máquina administrativa, economiza tempo, burocracia e desgastes desnecessários.

Não à toa, o prefeito de Ananindeua, Dr. Daniel Santos, deixou saberem que teria reunido com o presidente nacional do PSDB, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e que estaria a um passo de voltar ao ninho tucano, junto com o deputado estadual Erick Monteiro e a deputada federal Alessandra Haber. Ao lado do ex-prefeito e ex-deputado Manoel Pioneiro arregimentariam forças para conquistar os principais colégios eleitorais do Pará: Belém, Ananindeua e Santarém, inclusive os demais municípios da região metropolitana. Os objetivos são ambiciosos e miram o governo do Estado.

O plano incluiria fortalecer o partido em Tucuruí, com a candidatura da ex-deputada Eliane Lima a prefeita.

Por sua vez, o atual dirigente do PSDB-PA, Nilson Pinto, está na base de Helder mas não tem mandato e nem a sua esposa Lena. Dr. Daniel conta com isso para dominar a agremiação, apostando que Eduardo Leite será candidato a presidente da República em 2026.

No meio dessas investidas, está o Iasep, cujo comando pode trocar de titular nos próximos dias. E a superintendência regional dos Correios, cujo ocupante foi recém-nomeado. Além de muitos cargos de peixes pequenos do cardume Ananin.

Consultei meu amigo filósofo mudo de Oriximiná e ele grunhiu: -“Hummm… hummmmmm…”

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Sons em extinção

Anterior

Dr. Daniel fica no MDB

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *