0

A governadora Ana Júlia Carepa devia ter incorporado o prefeito Duciomar Costa à sua comitiva, que há duas semanas visitou a Venezuela. Com seu conhecimento, ele certamente não permitiria que a cirurgia de catarata fosse considerada como de “alta complexidade”, por isso mesmo a merecer um convênio para permitir a pacientes paraenses utilizar o centro oftalmológico venezuelano Milagro, de “altíssima tecnologia”, conforme dito na divulgação da visita à imprensa. Hoje, ao que sabe um leigo, operação de catarata só se torna de alta complexidade quando o médico comete barbeiragem. Não é mesmo, doutor Duciomar?”
(Jornalista Lúcio Flávio Pinto, em seu Jornal Pessoal, na edição que está nas bancas.)
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Vida, o bem mais precioso

Anterior

Conta, Arruda, conta!

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *